sexta-feira, 20 de outubro de 2017

D. António Francisco dos Santos -O meu testemunho-

D. António Francisco dos Santo
-O meu testemunho-


Faleceu D. António Francisco dos Santos em 11 de setembro de 2017.
Filho de Cinfães, bispo do Porto, homem do mundo a caminho de Deus.
Ficaram mais pobres a diocese do Porto, os pobres da cidade, o concelho de Cinfães e os seus amigos por tantos lugares espalhados.
Não posso nem quero ficar silencioso.
O Caminho de trabalho e ação que desde os seus 9 anos fizemos juntos na diferença de projetos de vida é longo demais para haver silêncio calado.
Para evitar emoções intensamente vividas nestes momentos difíceis e por evidenciar já a verdade e sentimentos agora exaltados, incluo nesta mensagem parte da minha intervenção de viva voz dirigida ao próprio em 23 de maio de 2011 na homenagem que rotary club de Cinfães em boa hora levou a cabo na pensão de Porto Antigo e para a qual me solicitaram intervenção.

«(…)  Saúdo o Rotary club de Cinfães pela iniciativa justa ,devida, oportuna e adequada em homenagear  D. António Francisco dos Santos , acumulando esta homenagem ao título de Homem Paul Harris com que Rotary Club de Aveiro já o tinha distinguido.
Saúdo também em nome da ASEL D. António Francisco pela sua estatura intelectual e moral, grandeza de alma, senso de atuação, vivência social e sensibilidade humana.
Não há história sem memória e D. António é já parte dos seminários de Lamego, das terras Cinfães, das dioceses de Braga, de Lamego ou Aveiro porque deixou e está a deixar memória viva e rastos de bondade por ponde passou, passa ou vive.

D. António é uma notável figura da igreja e do concelho de Cinfães, não porque é padre, não porque é bispo, mas sim porque antes disso foi homem de:
-ação e decisão, de estudo e dedicação, de humanismo e virtude, da palavra e da bondade, de trabalho e dignidade, de inteligência superior e superior perspicácia, de grandeza na retaguarda das decisões, de valia no segredo dos aconselhamentos.
Grande nestas coisas, todos hoje o reconhecemos grande também nos esconderijos do saber, nos meandros da vida, nas lides da cultura, na sua ligação ao povo, aos sem voz, aos sem tribuna, aos sem pão, aos doentes, aos sem família ou aos sem-abrigo. (…)
Já em Resende, no seminário menor, pequeno entre os pequenos ou sei lá, grande entre os mesmo, sobressai pela concentração nos estudos, ideias claras nas coisas simples , cedência aparente nas discussões de corredor e humildade visível face ao ordenamento existente.
D. António por onde quer que andou, passou ou parou procurou sempre encontrar e enaltecer os nativos de Cinfães, filhos da sua terra e irmãos da diáspora numa grandeza rara de entre os homens fazer amigos e nos amigos dar vida à amizade.
E foi esta marca de serenidade e bom senso, de persistência e insistência, de estudo e oração, de sorriso e seriedade que marcou o seu caminho, sereno e seguro, de Tendais a Resende, a Lamego, à Pesqueira, a Paris, e às dioceses que depois o levaram ao mundo na ordenação episcopal, tornando-o missionário da vinha do Senhor e seu principal obreiro.  (…)»
Acima disto que dizer mais, quando a verdade ainda nos confunde como um sonho de criança ou pesadelo de juventude?
A verdade porém é que já não vive e só nos resta viver a realidade.

Bispo estimado em Braga, desejado em Aveiro e agora já muito querido no Porto, partiu quando menos se esperava deixando boquiabertos pessoas e entidades, estarrecidos a olhar o espaço vazio.
Deus e a Natureza fizeram as coisas.
Surpreendeu o Porto na sua morte como o havia surpreendido na sua vida.
Alma grande onde todos cabíamos, abraçou a cidade e o seu povo, conquistou o clero e os consagrados, viveu a diocese e os seus problemas.
Do seu clero e diocese conhecia a génese e o seu caminho. A todos e cada um chamava pelo seu nome e de todos conhecia parte do seu percurso.
Vivia com os que viviam, sorria com os que sorriam e sofria com os que sofriam.
A minha verdade não cabe nestas linhas, mas sinto-me impotente para descrever as realidades sentidas e os momentos vividos.
Resta-me agradecer a Deus ter partilhado tanto da sua bondade, conhecido tanto as suas virtudes e beneficiado tanto do seu saber.
Ainda padre confortou meus pais na casa onde viviam já próximos do seu fim na terra; já bispo, como dádiva recebida, aqui na Senhora da Hora, continuava a  visitar-nos  em casa e na casa de meus filhos, onde meus netos lhe usaram o colo e beijaram o rosto.
Que Deus o recompense.
Chamam-lhe bispo da bondade.
É muito mais que isso.
Fica bem e é honesto juntar à sua bondade a sua cultura, o seu saber, o seu sorriso, a sua pastoral, a sua gestão diocesana, a sua noção de responsabilidade, a sua palavra de enlevo positivo, as suas obras de misericórdia, o seu abraço de paz e o seu olhar de perdão.
Não avisou ninguém da sua morte e ninguém faltou ao momento da partida.
Repousa no túmulo dos bispos na capela de S. Vivente nos claustros da Sé do Porto.
Homem de causas e princípios, contagiante bispo mariano, exemplar comunicador de sentimentos, dispensador de tranquilidade e paz, partiu como viveu de alma suspensa do seu lema episcopal: «In Manus Tuas».
                                   Senhora da Hora, 11 de outubro de 2017

                                                                       Adão Sequeira            

sábado, 14 de outubro de 2017

ASEL Em Peregrinação
-Centenário das Aparições-

-1- A Peregrinação
 Conforme proposta da Direção, a ASEL (Associação dos Antigos Alunos dos Seminários de Lamego), nos dias 16 e 17 de setembro deslocou-se a Fátima em Peregrinação de agradecimento e memória evocativa do centenário das Aparições.
O trabalho de preparação e contactos com o Santuário coube ao Presidente da Assembleia Geral, António Cândido, conseguindo alojamento e refeições, (para quem o quis), na Casa da Senhora do Carmo com cedência de uma sala para reunião e capela para oração.
                                
Integramos os atos litúrgicos das peregrinações presentes.
A Bandeira da ASEL, transportada pelo Presidente, Luís de Matos, fez parte do desfile de centenas de estandartes na procissão de Velas no dia 16 e procissão eucarística do dia 17.



-2- Fátima e a ASEL

 Fátima diz muito à ASEL e podemos até dizer que nasceu à sombra deste santuário mariano pois pelo menos dois dos fundadores, (D. António Francisco e o Adão), estiveram em Fátima em 1967 na cinquentenário com o papa Paulo VI e em 2017 no centenário das aparições com o papa Francisco.
Fátima foi também em 2005, no encontro anual da ASEL, o local escolhido para a decisão de editar uma seleção de textos do nosso jornal «Estrela Polar» que deu depois origem em 2007 à edição da «Antologia Estrela Polar», património cultural único nos seminários de Portugal, e à qual D. António Francisco se referia sempre com orgulho cultural e vaidade espiritual. Ainda em maio deste ano e a seu pedido, a sua biblioteca foi reforçada com mais 10 exemplares para ofertas.
Mas o ponto alto da nossa peregrinação acabou por ter origem no luto que a ASEL está a viver pelo falecimento inesperado e prematuro de D. António Francisco dos Santos que se afirmava: «Sou Aselista e sócio fundador da ASEL».
A D. António, grande devoto de Maria, dedicamos o melhor das nossas orações aos pés da Virgem, para que continue a ajudar, apoiar e iluminar os que os que na terra deixou com tanta nostalgia e saudade, tal a vida e bondade que a todos dedicava.


Por entre lágrimas não contidas e num silêncio emocionante o evocamos, na capela da Senhora do Carmo, naquele mesmo local onde em 2005, ainda bispo há pouco tempo ordenado, dirigiu à ASEL uma das mensagens mais belas alguma vez ouvidas, semente qualificada que ninguém jamais esqueceu e que em todos frutificou.
Ali o ouvimos em 2005.
Ali o lembramos em 2017, 5 dias após a sua morte e 3 após o seu funeral (11 e 13 de setembro) com a emoção duma partida que a todos deixou, em cada um à sua maneira, um bocado de orfandade, tal era a proximidade a todos e cada um dedicada, a bondade que a todos oferecia e a atenção que a cada um oferecia.
Homem, Padre e Bispo de craveira intelectual superior, possuidor de um sorriso feliz, a todos envolvia na alegria das suas palavras, na bondade das suas atitudes e no segredo dos seus aconselhamentos.


Foi ele o centro das nossas orações e atenções nesse momento em que nem a proximidade da Mãe de Fátima o retirou das nossas conversas, recordações e memória.
Obrigado D. António, e se possível prepara para nós aí no céu o mesmo ambiente que na terra nos dedicaste.
Por muitos anos certamente vamos recordar-te e evocar-te, lembrando sempre a tua bondade, cultura, saber e santidade que deixaste semeados nos Aselistas, nos amigos, nos pobres, nos sem-abrigo e nos jovens com a tua ligação ao povo, à avida e ao futuro.

-3- Depois da evocação


De Fátima e desta peregrinação, depois da evocação ao luto e memória, trazemos também vida, esperança e até otimismo já que no céu está quem de nós se vai lembrar
Já no final do atos e momento da despedida, por feliz coincidência encontramos D. Manuel Linda, bispo das forças armadas e aselista também, a quem apresentamos os nossos cumprimentos que agradeceu e devolveu num abraço para todos os aselistas ali presentes ou não.


Foi ainda decidido em Fátima que no sábado dia 2 de dezembro, dia da consoada do núcleo ASEL do Porto, faremos pelas 11 horas uma romagem ao túmulo de D. António, sito na capela de S. Vicente, na Sé do Porto, para um momento de encontro, de recordação, oração, evocação e memória, seguros certamente de que «de nós nunca estará longe aquele que sempre viveu tão perto»


Adão Sequeira 

segunda-feira, 11 de setembro de 2017


ASEL EM FÁTIMA

            Tendo a ASEL decidido promover uma peregrinação a Fátima por ocasião do 100.° aniversário das aparições, foi proposto o dia 23 de setembro para a mesma.
            A Direção foi abordada por alguns aselistas interessados na proposta. Dado que, no dia proposto, haverá uma concentração internacional, o nosso encontro terá, afinal, lugar no dia 16 de Setembro.
O programa constará do seguinte:
Dia 16/09/2017
16 horas – Encontro na parte frontal da Basílica da Santíssima Trindade.
19 horas – Jantar.
21 horas – Participação no Rosário e Procissão de Velas.
Dia 17/09/2017 (Para os  que pernoitarem)
11 horas – Eucaristia Internacional
13 horas – Almoço
Em 2005, o nosso fundador D. António Francisco dos Santos esteve a orar connosco neste Santuário. Vamos nesta peregrinação centenária, rezar com ele e por ele com muita Fé e esperança.
Contamos com a vossa presença no dia 16 de Setembro, junto da Basílica da Santíssima Trindade, pelas 16h.


Faleceu D. António - Bispo do Porto

Aselista desde a primeira hora!
Um Bispo de proximidade, cheio de humanidade e repleto de Fé que estava a marcar a diferença pela forma de ser e de estar na sociedade e na Igreja.

D. António Francisco dos Santos
Faleceu hoje, com 69 anos, vítima de ataque cardíaco.

A família aselista, consternada, reza e está unida no mais profundo sentimento de dor mas também de esperança....

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2017-09-11-Morreu-D.-Antonio-Francisco-dos-Santos-bispo-do-Porto


A ASEL

sábado, 2 de setembro de 2017

Falecimento

É com pesar que informamos do falecimento, no dia de hoje, da avó materna do Pe. Paulo Jorge Pereira Alves.
O Funeral realiza-se amanhã, domingo, na igreja da Paróquia de Penude pelas 16h00.


A Direção da ASEL está unida em oração com o Pe Paulo e toda a família neste momento de dor.

sábado, 13 de maio de 2017


No dia 29 de abril, realizou-se em Resende conforme anunciado, o 33º encontro anual da ASEL. Como presidente desta associação, sinto-me extremamente feliz pela forma como decorreu o convívio embora o número de Aselistas presentes tivesse ficado aquém das expectativas. Mas, o facto de ser fim-de-semana prolongado e ser a semana académica em muitas universidades onde filhos e netos dos Aselistas são finalistas, muito contribuiu certamente para que alguns dos habituais participantes no encontro não estivessem presentes.
À última da hora, devido ao tempo fresco que se tinha feito sentir na véspera e às previsões meteorológicas para o dia, acabamos por utilizar o “plano B”, e, em vez de irmos para S. Martinho de Mouros e Porto de Rei, celebrou-se a Sta. Missa no Mosteiro de Cárquere e o convívio passou para a sede do Rancho Folclórico de Santa Maria de Cárquere. Desde já o nosso muito obrigado ao Reverendo Pe. Arménio e à Professora Ana Correia presidente da Direção do Rancho Folclórico pela amabilidade e prestabilidade para connosco.
Em jeito de balanço, pelo feedback recebido e pelo número de associados que estiveram até ao encerramento do encontro, podemos afirmar que tudo correu conforme o pretendido: a Assembleia Geral presidida pelo António Cândido foi mais uma vez muita bem dirigida, sem tempos “mortos” e de forma eloquente; a divulgação do livro do Maestro Pereira Pinto com uma breve introdução feita pelo Dr. Adão Sequeira foi um êxito; a concelebração da Santa Missa, participada por todos através dos cânticos e da comunhão e a homilia proferida pelo D. Jacinto sempre profética e sublime, foram o ponto alto do nosso encontro; o coffee break, o almoço e a animação durante a tarde, também corresponderam às expectativas.
Em nome da Direção, quero agradecer mais uma vez a todos os que estiveram presentes e àqueles que duma forma ou de outra contribuíram para a realização do encontro. Um agradecimento muito especial ao nosso Bispo Emérito D. Jacinto Botelho pela sua disponibilidade e jovialidade, ao Sr. Vigário Geral, ao Seminário de Resende e seu Vice – Reitor Reverendo Pe. António José Ferreira, ao Reverendo Pe. Arménio Pároco de Sta. Maria de Cárquere e aos demais Sacerdotes presentes. Outros agradecimentos exteriores à ASEL serão feitos no Facebook.
Para o próximo ano haverá eleições. Seria bom que todos começassem a refletir e consciencializar-se que é um ato importante para a continuidade da ASEL. Há muito Aselista capaz e com disponibilidade. E mudar traz sempre algo de novo. Não devemos ter medo das mudanças, mas sim de que as coisas nunca mudem.

Até para o ano se Deus quiser

                                                                                        O Presidente da Direção
                                                                    
                                                                                           Luís Matos Pinto

terça-feira, 9 de maio de 2017

ENCONTRO NACIONAL 2017

Decorreu no sábado, dia 29 de abril, o encontro anual dos membros da Associação de Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Lamego. Neste ano, tal como previsto e amplamente divulgado, os antigos seminaristas reuniram no Seminário Menor de Resende.
O acolhimento dos aselistas, sempre assinalado pela alegria do reencontro e pela emoção dos que vinham pela primeira vez, marcou o início do dia.
Este 33.º encontro nacional – afinal, a ASEL já tem trinta e três anos! – prosseguiu com a assembleia-geral estatutária, onde se fez a apresentação da atividade da associação e das contas de gerência, aprovadas e objeto de voto de louvor.
Fez-se notar que o próximo ano será momento de eleições, para o que se esperam candidatos que levem cada vez mais alto os propósitos da associação. É notório que as dificuldades na mobilização se fazem sentir, dado que muitos ex-seminaristas, mesmo que saibam, porque recebem as comunicações da ASEL, das nossas atividades, não se mobilizam como gostaríamos, o que, aliado à distância, a um certo desprendimento e a uma atitude de «laisser faire, laisser passer», nos deixa com um certo sabor amargo, notório neste ano, em que as inscrições e a participação estiveram aquém das nossas expectativas.
Relevou-se o facto de a ASEL ter vindo a apoiar a edição e a venda de livros elaborados e publicados por aselistas, tendo sido salientado o facto de a colectânea “Estrela Polar” constituir, ainda hoje, uma fonte bibliográfica fundamental para se conhecer o pensamento dos jovens durienses, de idades compreendidas entre os 14 e os 25 anos, nos anos 60 do século XX. Falando de livros, foi, ainda, apresentado o volume “Musica Ficta”, da autoria do aselista J. A. Pereira Pinto, conceituado músico e maestro de Cinfães e autor do nosso hino, aqui transposto, mais uma vez.
Seguiu-se um beberete, momento de partilha e de convívio fraterno, permitindo a recordação de momentos marcantes da passagem pelos seminários diocesanos, para o que fomos gentilmente presenteados com géneros alimentícios pelo hipermercado E. Leclerc de Lamego, a quem agradecemos o apoio nunca negado.
Depois, partimos para o Mosteiro de Santa Maria de Cárquere, datado do século XII, com a sua belíssima igreja de base românica, modificada no gótico, onde participámos activamente na Santa Missa, celebrada pelo nosso bispo emérito, D. Jacinto Botelho, e concelebrada por cinco sacerdotes, acolitados, em termos corais, pelo nosso presidente da direcção, Luís de Matos, na regência coral, pelo aselista António Regadas, ao órgão, e pela jovem Paula Ferreira, que nos encantou com uma maviosa interpretação vocal da “Ave-Maria” de Gounod, aquando da habitual deposição de um ramo de flores junto de Nossa Senhora, evocando a figura de Maria como a mãe de todos e representante de todas as mães.
O almoço foi excelentemente servido por Carlos Trindade, de Resende, que nos mimoseou com iguarias regionais, acompanhadas pela produção vinícola do aselista José João Pina, decorrendo a tarde em convívio amigável e cúmplice, recordando agradavelmente circunstâncias relevantes da nossa vida de seminaristas.
Foi ainda feita uma homenagem aos aselistas com 75, 50 e 25 anos de inscrição nos seminários, através da entrega de um diploma alusivo.
Mais uma vez informamos que, além do “blogue” que a ASEL dinamiza, há uma página na rede social Facebook, para que a nossa atividade possa chegar mais longe e contribua para um sentimento de proximidade maior entre todos os que passaram pelas nossas casas de formação sacerdotal, tendo em vista também o fomento da inscrição de antigos alunos, pois torna-se imprescindível conseguir o maior envolvimento possível de antigos seminaristas para a dinamização da ASEL.
Pela Direção da ASEL
Paulo Pereira Guedes

Curso de 1974

Mensagens de condolências

benjamim.correia@sapo.pt

Amigos,

Endereço os meus sentidos pêsames ao Cândido com um abraço.

Benjamim Correia

++++++++++++++++++++++++++++++++

Armando Ribeiro deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Faleceu a mãe do Presidente da AG da Asel":

Ao caro amigo, Cândido, os meus sentimentos e a promessa da minha oração pela alma da mãe, sempre querida. P.e Armando Ribeiro
+++++++++++++++++++++++++++


Os meus sinceros sentimentos de pesar com votos de coragem e esperança na ressurreição.
Responder
   

+++++++++++++++++++++

O meu abraço de amizade é gratidão a todos vós neste momento de dor mas de esperança k estará em Paz. Saudações Aselistas 



domingo, 7 de maio de 2017

Faleceu a mãe do Presidente da AG da Asel

Recebemos, e comunicamos com pesar, a triste notícia do falecimento da mãe do nosso Presidente da Assembleia Geral que nos remeteu esta nota:

"Caros Amigos, Dia da Mãe e o Salvador levou a minha para a Sua presença. Não vou pedir vossa presença mas a vossa oração por ela. 
Aos que quiserem ir pessoalmente, o corpo estará segunda feira ás 11h na capela das Antas, Porto e na terça às 11h serão as cerimónias e  as despedidas. Bem hajam.
Candido"
 
Ao Cândido a nossa solidária presença na oração e no conforto da fé do Senhor Ressuscitado.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

INSCRIÇÔES - atualização



NOMEAcompanhantes para almoço
Luís Matos Pinto5
Adao Pereira Sequeira da Fonseca2
Abel Rodrigues Costa1
Fernando Direito1
Antonio Cândido Teixeira 2
Avelino Alves Pereira2
Júlio Beleza da Costa2
Paulo António Messias Pereira Guedes1
Flávio Lopes Pereira1
Adérito Duarte Pereira1
Agostinho Matias Pereira1
Amadeu da Fonseca Teixeira3
Luís Sousa Ferreira2
Manuel Pereira Filipe1
Alfredo José Almeida Pinto1
Laurentino Sousa1
António Augusto Saraiva2
Manuel Fernandes Loureiro Amorim1
Joaquim Proença Dionísio1
Francisco Manuel Taveira Pinto Guedes1
António José Santos Ferreira1
Helder César Gonçalves Ferreira1
José Manuel Lacerda Santos1
António Regadas1
Humberto da Silva Ramos Rodrigues1
Waldemar Calhau1
António Manuel Coelho Seixas1
Manuel Cardoso Fernandes1
Moises Fernando Cardoso Carreira1
Joaquim Monteiro Ferreira1
Rogério Pereira Mendes1
José Manuel Rebelo Correia1
Leontino Carvalho Alves1

Falecimento de aselista

Publicamos a informação que nos chegou por email enviada do nosso colega Adérito Pereira sobre o falecimento de um aselista: Fernando Mendes Duarte


"Boa tarde Sr. Presidente. Não sei se já terá tido conhecimento, mas no dia 19 do corrente mês, faleceu o Ex- Seminarista, Sr. Fernando Mendes Duarte, em Viseu. Era natural  de Lamego - Ponte. Missa do 7º Dia- amanhã às 9.30 horas, na Sé, Lamego.
Abraço".